Da série: Notícias Bizarras

ONU sugere consumo de insetos para combater a fome mundial

Pode parecer bizarro, mas um estudo divulgado pela FAO, órgão da ONU para a Alimentação e a Agricultura, sugere que incluir insetos na alimentação pode diminuir o número de obesos e até mesmo a fome mundial.

De acordo com o estudo, os insetos já estão no cardápio de pelo menos 2 bilhões de pessoas, principalmente na Ásia e África. E por que eles fazem bem? Segundo os pesquisadores, eles são fontes de proteínas e mais de 1,9 mil espécies de insetos servem de alimento a seres humanos. As que mais são consumidas são os besouros (31%), as lagartas (18%), as abelhas, vespas e formigas (14%) e os gafanhotos e grilos (13%). Muitos deles são ricos em proteína e gorduras boas, além de cálcio, ferro e zinco.

Além de fazerem bem para a saúde, o consumo e a produção de insetos ajudariam a gerar emprego e renda, principalmente nos países em desenvolvimento.

Mas Eva Muller, diretora de uma das divisões da FAO e co-autora da pesquisa, esclarece que não é só pegar um gafanhoto na rua e colocar no prato. “Nós não estamos dizendo que as pessoas devem sair comendo insetos”, afirmou. “Estamos dizendo que os insetos são apenas um dos recursos fornecidos pelas florestas, e que eles são praticamente inexplorados pelo seu potencial para a alimentação”, finaliza.

Anúncios