Tigre Cego de Bengala

Fui ao Tigre Cego duas vezes. Na primeira, fim de tarde, procurando alguma coisa boa para uma almojanta pós ressaca. Na outra, um sábado à noite, com uma turma de amigos querendo um lugar animado para bebericar e jogar conversa fora. A conclusão: fui mais feliz na primeira visita. Pelo simples fato de que o Tigre Cego é um local onde se come muito bem, mas se bebe péssimo. Acredito que o fato deles se auto-intitularem um bar de sanduíches artesanais não exclui a necessidade de darem um pouco de atenção à coquetelaria. Os tradicionais Negroni e Moscow Mule não lembram em nada seus gostos marcantes. As criações da casa, o Good Hope Collins (laranja, alecrim, abacaxi e gin com capim limão) e o Thai Breath (abacaxi, água de côco, vermute seco, gengibre e gin com capim limão) são tão decepcionantes quanto. Nos dois, sobrou abacaxi e faltou gin. Faltou também cuidado na apresentação. Fiquei depois me perguntando se eles entenderam que eu pedi um drink e não um suco. Por falar nele, na primeira visita, aquela do fim de tarde, pedi um de tomate que estava uma delícia. Então, acho que é mais garantido ir no cardápio não etílico da casa.

Mas vamos ao forte do Tigre: os sanduíches. E aí, quando digo forte entenda como alguns dos melhores já experimentados na vida. Esqueça hambúrgueres tradicionais com cheddar, bacon ou outro ingrediente industrializado que lembre um fast food barato. Aqui estamos falando de tostex de pão macio e crocante, molhos caseiros e carnes mais elaboradas (costela de porco, siri, pernil de cordeiro, filet mignon picado na ponta de faca), assadas lentamente (até 10h no forno!), acompanhadas de maionese de pimenta biquinho, raita de hortelã ou queijo ementhal. O cardápio tem apenas sete opções de sanduíches e mesmo assim você fica que nem cego em tiroteio sem saber qual escolher.

Minhas pedidas que indico de olhos fechados (eu sei que é bem infame, mas estou adorando esses clichês literais inspirados no nome do restaurante) são o Brisket de Boi e o Pulled Pork Ribs. O primeiro leva peito de boi assado lentamente com cebolas caramelizadas ao vinho tinto, desfiado e servido com queijo provolone defumado e acompanha uma saladex delícia. O segundo é de costela de porco assada com molho Barbecue da casa e cebolas caramelizadas com vinagre e açúcar mascavo.

O acompanhamento dos sandubas merece o mesmo destaque. Uma generosíssima porção de batata inglesa, batata doce e mandioquinha cortadas grosseiramente, com sal, alecrim, casquinha crocante e meio bem molinho. Pedimos uma porção pra dividir pra quatro e foi suficiente. Na verdade, eu comeria tudo sozinha, mas em público costumo ser educada e disfarçar meu espírito gordo.

Certamente, voltarei ao Tigre muitas outras vezes. Só de escrever esse texto já fiquei sonhando com o tostex delícia e as batatas crocantes. Tudo isso acompanhado daquele suco bem geladinho.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Assinatura_Barbara2

Anúncios