Pelo artesanal, o autoral, o que é local

Existe uma tendência muito forte no mercado em geral e também no gastronômico que é a de priorizar serviços locais que grandes empresas ou conglomerados. Essa é uma ideia que gosto cada vez mais, porque acho que essas pequenas empresas, normalmente, oferecem um serviço de qualidade, tem um público muito bem definido, o que facilita sua comunicação e pensam “bem fora da caixinha”.

Quando tá calor ou se almoço na rua e depois bate aquela loucura por doce, eu posso tomar um sorvete Haagen Daz, ou ir numa gelateria da Parmalat, ou até mesmo comprar um picolé da Kibon, né?! Mas não. A minha escolha tem sido super previsível desde que eu descobri os sorvetes da Frida e Mina. O motivo é simples: estou perdidamente apaixonada por cada detalhe dessa sorveteria aqui de Pinheiros, em São Paulo.

A loja é pequena, não tem mesas e cadeiras pra sentar, mas do lado de fora há uns bancos coletivos na calçada perto das árvores, o que torna a coisa bem mais agradável; a cozinha é toda envidraçada e você, enquanto faz o pedido, acompanha o preparo do sorvete e da casquinha, que por sinal, é crocantérrima, com gostinho de “feita em casa” mesmo. Fora isso, é legal saber como eles pensam no coletivo e no meio ambiente. Em frente à sorveteria tem um mini paraciclo para os que optam por ir de bike e deixar seu carro em casa; a água, oferecida gratuitamente pela casa, é servida em copos de vidro, e quando você pede pra experimentar algum sabor de sorvete, a colherzinha não é de madeira, mas um material tipo inox. Ou seja, o desperdício é zero, né?!

Falando neles, nos sorvetes, puxa vida, como eles são bons, minha gente! Os imbatíveis são o crocante de macadâmia, o caramelo com flor de sal, o de erva cidreira e de banana com cacau. Mas quem gosta dos clássicos também ama os de lá. O de doce de leite e o de manga são maravilhosos e o de baunilha é feito com fava de verdade. Tudo sem conservante ou aditivo químico.

Por isso eu levanto a bandeira do restaurante (no caso, a sorveteria) local, com produtos artesanais, frescos, que permitem o “chef” ser inventivo e criativo. Diante de tudo isso, quem ainda vai preferir comida pasteurizada, produzida em larga escala, das grandes cadeias? Ok, sem considerar aquelas paradas no Mc pós balada, tá bem?

Frida e Mina:

Rua Artur de Azevedo, 1147 – Pinheiros, São Paulo

(11) 2579-1444

IG: @fridaemina

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

assinatura_barbara final

 

Anúncios